28 outubro 2011

até ao amanhecer.


Espero pelo amanhecer. Pode ser que quando o sol nascer, tu já cá estejas para me dar os bons dias, num doce e delicioso beijo. Pode ser que já tenhas desistido do que te faz desistir mim, e voltes ao sitio que sempre te pertenceu - os meus braços. Ou talvez seja a chuva a bater na janela, a única que me virá acordar amanhã, a única que me virá dar os maus dias e dizer que afinal, não sou assim tão importante na tua pequena vida. Esperemos. Eu espero-te, de cama vazia, gelada, agarrada à tua almofada. Espero-te até ao dia que me cansar de esperar, até ao dia em que o meu desejo não seja mais adormecer no calor do teu corpo, e na ternura dos teus braços. Espero-te, até não conseguir esperar mais. Boa noite, meu amor. 

Sem comentários: