07 outubro 2011

não és tu, nem sou eu.

Às vezes parece que encarnamos noutros seres, e começamos a disparatar um com o outro, sem razão aparente. Tu não te ficas, eu não me fico, e acabamos sempre por falar demais. Digo o que não sinto, e tu continuas a fazer de propósito para me irritar, por fim, acabamos chateados. Desculpa amor, isto é um perfeito disparate, teu e meu.

Sem comentários: