25 novembro 2011

pergunto-me


Como podemos ser tão próximos e tão distantes? Tão tudo e tão nada? Tão hoje, tão amanhã? Como podemos tocar a perfeição e logo a seguir tropeçar numa pedra? Como podemos ser tão fortes e tão fracos, a ponto de nos magoarmos sem qualquer razão? Somos diferentes do Mundo, e diferentes de nós próprios. Ou se calhar demasiado parecidos. No fundo, acho que nem sei o que somos. Mas somos.

Sem comentários: