14 novembro 2011

que dia.

Estou exausta. É incrível como os dias de chuva me cansam mil vezes mais do que os dias de sol. Não sei se é dos tons acinzentados que os meus olhos odeiam, ou de ver as pessoas a correr entre as gotas da chuva com medo de se molhar. A mim já não me afecta. Hoje apenas o barulho e a luz me incomodam. Entrei no autocarro a desejar chegar a casa, atirar tudo ao ar, receber um abraço forte e em seguida deitar-me no silêncio do meu quarto. Sentir a paz de novo comigo, e dormir um pouco. Assim o fiz. Queria ter-me mais vezes só para mim, e continuar as minhas viagens escola-casa no meu silêncio, na minha harmonia, com os phones nos ouvidos. Desligando do Mundo, somente a ver a chuva cair do outro lado do vidro. Mas não tem sido possível, quando finjo estar atenta às conversas que vêm até mim sem eu desejar, embora muitas vezes abanando a cabeça e desligando o pensamento. Talvez não seja de bom tom, mas dispenso. Não gosto de falar, nem que quebrem o meu bem-estar. Não gosto de pessoas a invadir a minha distância de segurança.

Sem comentários: