06 maio 2012

confused.

Sinto que a minha alma se perdeu. Nos dias, nas horas.. no tempo que foi, e não volta. Sinto que a minha ausência de mim, me vai matando. E tenho saudades, porque faz parte ter saudades. Mas tenho vontade, de ir, de ficar, de dar e não dar, de ter e não ter. Que confusão. Pois, foi nisto que me tornei, numa confusão. Não consigo ser correcta comigo, nem com os outros, e acabo sempre por magoar alguém, ou mesmo a mim própria. E pergunto-me, vezes e vezes sem conta, para que serve um ser humano assim? Cheio de dúvidas, de medos, de angustias? Não conseguirei fazer ninguém realmente feliz, e eu, acho que também nunca o serei. Espero todos os dias, que o dia seguinte seja melhor que o anterior, mas o interessante é que nunca ou quase nunca é. E continuo, na espera que todos os males voem e todo o meu ar seja feliz e doce.

1 comentário:

Joana Castro disse...

Tu és um doce! E toda essa doçura que te compõe não desapareceu, não se esgotou e nem "tirou férias", sequer. Só precisas de tempo para conseguir lidar com ela, novamente, da melhor maneira, da única maneira que faz de ti aquilo que tu és, um doce.
Beijinhos, Maria*