02 junho 2012

Hoje foi dia de esquecer a vida, e dormir. Dormir para não sentir. Dormir para anestesiar. Há quem beba, e quem se drogue. Eu adormeço, e sonho. Pena o acordar ser sempre demasiado penoso. Mas eu prefiro sonhar, do que viver.