09 julho 2012

Meu doce amor, não quero mais dizer que sinto a tua falta, e que a dor da saudade é enorme. Pois isso, nós já sabemos, e tocar na ferida só mal nos fará. Vamos vivendo, entre mensagens e carinhos, entre tons de voz doces e olhos profundos, que não se vêm, mas tocam-se, bem no fundo das nossas almas. Imagino-te todos os dias comigo, ao acordar e ao deitar, aconchegados numa nuvem de algodão doce. Desejo-te sempre uma boa noite e mando um beijo para a Lua. Ela entrega-to, do mesmo jeito que eu. Sempre vivemos de Luas, quando nos afastamos, falamos por mensagens de céu e conseguimos sentir que, do outro lado do mundo, ou somente do país, são entregues com a mesma doçura. Escrevi agora infinito nas estrelas. Olha e sente, como eu te quero, e te amo.

Sem comentários: