13 julho 2012

Torturas.

Umas vezes dói mais que outras, umas vezes custa mais que outras. Uns dias passam rápido, quase como poucos segundos, outros o relógio parece parar muitas vezes ao dia e a noite teima em não querer chegar. Os olhos demoram a fechar e o a corpo adormecer. São estes, os dias em que a lua desaparece e eu fico sem saber como dar-te o meu coração. São dias de tortura, de espera, de saudade infinita, em que não ter-te aqui se torna a maior das angustias, o maior dos pesadelos. Hoje só queria voar contigo, perder-me contigo. Ficar contigo. Ficar contigo, até sempre. Voa para mim, meu anjo.

Sem comentários: