28 março 2013

Mesmo que eu vá embora, querendo ficar.

O amor poderia justificar qualquer coisa que eu quisesse e pudesse fazer. Porque o amor existe para ser superior a tudo o resto, até à razão. Eu poderia acordar novamente disposta a lutar por ti, por te amar, e por achar que nunca outra pessoa me conseguirá fazer tão feliz. Mas o problema está nos sorrisos que me roubas e depois me cospes na cara, fazendo-me acreditar que afinal nada do que me ofereces será com a intenção de me fazer feliz. Por tudo isto, eu não quero lutar mais. Por mais que o amor seja a maior coisa do mundo, por mais que eu me sinta uma pequena borboleta sempre que me abraças, eu não quero mais. Eu não posso querer mais! Talvez isto seja um amor impossível, e nós de mundos diferentes. Tu nunca saberás lidar com a distância, levando-te a atitudes que nem tu próprio entendes. Sabes que também me amas, sabes que o teu desejo era uma vida comigo, mas quando nos ausentamos um do outro, é como se tudo parasse e tu sentisses a necessidade de fugir. Talvez tenhas medo, medo que eu não esteja a ser correcta contigo, ou que tu não o consigas ser comigo, como prometeras, então sais. Vais saindo da minha vida. Começas por te afastar aos poucos, e de um dia para o outro é como se tudo te tivesse desaparecido das veias. Tu sabes onde eu estou, eu sei onde tu estas, mas algo te repelia de mim, e nunca mais irás aparecer no meu Mundo. Até ao dia. Dia em que percebes que afinal não consegues não pensar em mim, por muito que te ausentes. E voltas, pedindo-me discretamente que voe para ti. Sempre foi assim. Não será mais, mesmo que o amor pudesse justificar, mesmo que eu vá embora, querendo ficar..

Sem comentários: