29 abril 2013

partidas

Sinto que não pertenço a lugar nenhum, pois a minha vida é repleta de partidas e chegadas, de mudanças e trocas. Os lugares nunca são os mesmos, nem as pessoas, nem os cheiros, nem a temperatura. Sinto-me uma menina do mundo, que não tem canto certo para aterrar, pensar ou chorar. Hoje fico aqui, amanhã parto, e deito a cabeça noutra almofada. Não sei a qual delas chamar minha, nem a qual espaço chamar meu.. Talvez eu seja como um pássaro, que voa, que parte, mas que volta sempre ao sitio de onde partiu, tanto na ida, como na volta. Amanhã é dia de voar.

Sem comentários: