20 janeiro 2015

Hoje, não abri a persiana, nem a janela, nem a porta. Hoje o meu mundo está às escuras, e não quero sair daqui. Não vou sair daqui. As lágrimas não secam há horas, e a dor do peito, essa parece infinita. Acho que estou a bater no fundo, como há muito não batia.

Sem comentários: