22 outubro 2016

Gostava de conseguir falar de ti. Gostava de conseguir transformar em palavras todos os sentimentos bons que um dia me fizeste sentir. Gostava de não sufocar quando o pensamento és tu, enquanto fecho os olhos e recordo do quão bom foi conhecer-te. Enquanto caminho por estas ruas e te imagino nelas. Porque esta cidade também é tão tua, porque passámos a vida a dar os mesmos passos, e porque sem querer, eu segui os teus..  Se calhar o destino quis apenas que me mostrasses como consigo ser mais forte, e vencer sozinha todas as guerras. E mesmo que não tenhas tido a coragem de ficar a tempo inteiro na minha vida, não tens ideia de tudo o que me ensinaste, de tudo o que eu aprendi contigo. Do bem que fizeste à minha alma e de como reconstruíste o meu coração. Colocaste a primeira peça, como pediste no primeiro dia, e eu consegui continuar sozinha. Porque era preciso fazê-lo sozinha, aos bocadinhos. Ainda não acabou a luta, mas hoje já não dói. E mesmo cheio de buracos, ele vai batendo, ainda sem ritmo, ainda sem brilho, ainda com dias bons e dias maus, mas vai batendo. Cada vez com mais força. Cada vez com mais vontade. Um dia estará novo! Acho mesmo que não imaginas todo o mal que conseguiste apagar de mim. E da luz que trouxeste de volta aos meus dias. Afinal existem pessoas boas, e eu não acreditava. Antes de ti, eu era apenas um corpo, de alma perdida e coração destruído. A viver há demasiado tempo no escuro. Sem vontade de abrir a janela e viver. Não pensava conseguir voltar a sentir. Voltar a olhar o céu e a desejar as estrelas. Voltar a contar sonhos à lua e a acordar com o sol. Antes de ti, era só vazio. E mesmo que tu não saibas, mesmo que nunca vás saber, tu foste das melhores coisas que encontrei no caminho.. mesmo que tenhas sido só uma estação onde parei para respirar, beber água fresca e ganhar forças para continuar. Obrigada.

Sem comentários: